Poemas Haikai

Tomas Tranströmer



Os fios elétricos
estendidos por onde o frio reina
Ao norte de toda música.

O sol branco
treina correndo solitário para
a montanha azul da morte.

Temos que viver
com a relva pequena
e o riso dos porões.

Agora o sol se deita.
sombras se levantam gigantescas.
Logo logo tudo é sombra.

As orquídeas.
Petroleiros passam deslizando.
É lua cheia.

Fortalezas medievais,
cidades desconhecidas, esfinges frias,
arenas vazias.

As folhas cochicham:
Um javali está tocando órgão.
E os sinos batem.

E a noite se desloca
de leste para oeste
na velocidade da lua.

Duas libélulas
agarradas uma na outra
passam e se vão

Presença de Deus.
No túnel do canto do pássaro
uma porta fechada se abre.

Carvalhos e a lua.
Luz e imagem de estrelas salientes.
O mar gelado.



Tomas Tranströmer nasceu no dia 15 de abril de 1931 em Estocolmo, Suécia. Poeta e tradutor, foi psicólogo de profissão até 1990, ano em que foi vítima de um acidente vascular cerebral que o deixou em parte afásico e hemiplégico. Sua primeira obra publicada após este episódio, seis anos depois, é o livro "A Gôndola da Dor", que vendeu mais de 30.000 exemplares. Sua última publicação foi em 2004, com a antologia "O Grande Enigma".

Segundo matéria publicada na Revista Veja 'online' (06/10/2011), a partir de então "(...) a música tomou conta deste pianista amador. Ele toca piano todos os dias, apenas com a mão esquerda, pois a direita não se recuperou do derrame, e passa suas manhãs escutando música clássica, contou sua esposa em uma entrevista ao jornal sueco Dagens Nyheter publicada neste ano."

A agência EFE noticiou em 6 de outubro de 2011: "O poeta sueco Tomas Tranströmer demonstrou "felicidade" e "emoção" ao ser informado de que a Academia sueca o premiou com o Nobel de Literatura 2011. "Ele não acreditava que iria viver isto", afirmou sua mulher, Monica Tranströmer, à imprensa sueca em Estocolmo. Também disse que se sente bem com todas estas pessoas que o felicitam e pedem para fazer fotos", completou. O ganhador do Nobel de Literatura 2011, cujo nome soava como candidato ao prêmio há anos, tem dificuldades para falar desde 1990, quando sofreu um acidente vascular cerebral, embora isso não o impeça de continuar escrevendo. Segundo Monica, o casal ficou "muito surpreso" quando o secretário da Academia sueca, Peter Englund, ligou minutos antes de anunciar o prêmio para dar a notícia. Um grupo de jornalistas - que todo ano se reúnem diante da residência da família para a eventualidade do prêmio - estava presente."


Obras publicadas:

- 17 dikter, poemas, 1954
- Hemligheter på vägen, poemas, 1958
- Den halvfärdiga himlen, poemas, 1962
- Klanger och spår, poemas, 1966
- Kvartett, 1967
- Mörkerseende, poemas, 1970
- Stigar, poemas, 1973
- Östersjöar, poemas, 1974
- Sanningsbarriären, poemas, 1978
- Dikter 1954-78, 1979
- PS, diktsamling, 1980
- Det vilda torget, poemas, 1983
- Dikter, 1984 (pocketutgåva)
- För levande och döda, poemas, 1989
- Dikter. Från "17 dikter" till "För levande och döda", 1990
- Minnena ser mig, 1993
- Sorgegondolen, poemas, 1996
- Fängelse:nio haikudikter från Hällby ungdomsfängelse (1959), poemas, 2001
- Den stora gåtan, poemas, 2004


Prêmios recebidos:

1988 - Prêmio Pilot
1990 - Prêmio Literário do Conselho Nórdico
1996 - Prêmio August
2011 - Prêmio Nobel da literatura


Em português,  pode ser lido em 21 Poetas Suecos - antologia de poetas suecos incluindo Tomas Tranströmer, organizada por Ana Hatherly e Vasco Graça Moura, publicada em 1981 pela editora Vega, Portugal.


Até a data da divulgação do Prêmio Nobel de Literatura de 2011, o poeta sueco Tomas Tranströmer possui um único poema traduzido para o português e publicado no Brasil. A obra de 11 estrofes chamada "Poemas haikai" faz parte da coleção "Poesia Sempre", da Fundação Biblioteca Nacional, lançada em 2006 com tradução de Marta Manhães de Andrade.


[ Voltar ]

RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS E A PROPRIEDADE INTELECTUAL
Copyright © 1996 PROJETO RELEITURAS. É proibida a venda ou reprodução de qualquer parte do conteúdo deste site.