Sólo & solo
Somente & sozinho

Rolando Revagliatti


Sólo & solo

Muere conmigo una leyenda

(Y aquí debiera concluir mi texto
pero mi texto se torna goloso
vicioso
a través de mí
por lo que muere conmígo
sólo
mi texto
Por lo que muere sin mí
solo
mi texto).


Somente & sozinho

Morre comigo uma lenda

(E aqui deveria concluir meu texto
mas meu texto torna-se guloso
viciado
através de mim
por aquilo que morre comigo
somente
meu texto
Pelo que morre sem mim
sozinho
meu texto.)



Rolando Revagliatti (1945) é natural de Buenos Aires - Argentina, cidade onde até hoje reside. Foi um dos responsáveis pelo Ciclo de Poesía e Prosa Breve “Nicolás Olivari” (1999) e o coordenador geral dos Ciclos de Poesía “Julio Huasi” (2001), “Luis Franco” (2002), “Carlos de la Púa”, “Susana Thénon”, “Horacio Pilar”, “Homenajes” (2003), assim como da Revista Oral de Literatura “Recitador Argentino” (2003) e de “La Anguila Lánguida” Mostra de Poesía 2004. Foi incluído em mais de trinta antologias de poesia da Argentina, Brasil, Chile, México e Índia. Textos narrativos e poéticos de sua autoria foram difundidos em onze idiomas, em publicações gráficas e digitais, primordialmente em países da América e Europa. Sua homepage está em http://www.revagliatti.com.ar
.

Obras:

- Historietas del amor
- Muestra en prosa
- Las piezas de un teatro
- Obras completas en verso hasta aca
- De mi mayor estigma (si mal no me equivoco)
- Trompifai
- Fundido encadenado
- Tomavistas
- Picado contrapicado
- Leo y escribo
- Ripio
- Desecho e izquierdo
- Propaga
- Ardua
- Pictorica
- Sopita
- Corona de calor
- Del franelero popular
- El revagliastés (antologia, entre 1988 e 2006).


O poema que apresentamos foi-nos enviado gentilmente pelo escritor. Tradução de Josefina Neves Mello.

Leia o texto. Compre o livro.

[ Voltar ]

RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS E A PROPRIEDADE INTELECTUAL
Copyright © PROJETO RELEITURAS. É proibida a venda ou reprodução de qualquer parte do conteúdo deste site.