Monólogo

Paulo Sérgio Valle


Medo do sono
—ensaio da morte—
Vento de outono
folhe de corte
pensamento anarquista
liberdade temida
por fora sem vista
por dentro revida.

Medo da ida
viagem sem mala
saudade da vida
sem carne sem fala.
Falta de luz
falta de ar
o sonho seduz
promete voltar.

Corpo cansado
alma desperta
mundo errado
que o sono acerta.
Dorme animal
com teu ronco de bicho
que pensar é teu mal,
que recolham teu lixo.


Paulo Sérgio Kostenbader Valle (1940) é carioca. Formado em Direito pela antiga Universidade Estadual da Guanabara, é um dos mais importantes compositores da música popular brasileira. Sua carreira teve início em 1961, ano em que começou a fazer letras para as músicas de seu irmão, Marcos Valle.

Algumas de suas composições de sucesso: Sonho de Maria; Samba de Verão, Eu preciso aprender a ser só; Black is beautiful; Viola enluarada; Essa tal liberdade e Sempre mais.

O escritor é um apaixonado pela aviação e defensor da natureza, participa da Ação Ambiental Linha do Horizonte, projeto em desenvolvimento que tem como objetivo a identificação das agressões ao meio ambiente, através da observação aérea das condições do mar próximo à costa fluminense, desde Macaé até Parati.

Obras publicadas:


De corpo e alma (1981), livro de poesias escrito em parceria com Ney Azambuja.

Pedalando pelo caminho de Santiago de Compostela, Litteris Editora, 1996.

O ajustador de profecias, Litteris Editora, 1997.

O segundo sudoeste, Ed. Objetiva, 2001.


O poema acima foi gentilmente enviado ao Releituras pelo autor.

Leia o poema. Compre o livro.

[ Voltar ]
 

RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS E A PROPRIEDADE INTELECTUAL
Copyright © 1996 PROJETO RELEITURAS. É proibida a venda ou reprodução de qualquer parte do conteúdo deste site.