Por quê?

Jorge Luiz Vargas

por amor



Te amei tanto e com tamanha plenitude
Que nem sei como pude
Seguir sem o amor que te dei.

Te amei tanto e com tanta vontade de ser sem fim
Que em todo canto de mim
Habita um pouco de você.

Seu cheiro, seu beijo, o aperto de seu abraço.
Seu sorriso, suas promessas, sua intensidade em me amar.
Nada era igual ao que sonhamos eterno
Ao que tanto desejamos e que imaginamos jamais acabar.

Te amei tanto e com tanta leveza
Que até a certeza de que seria para sempre
Eu percebia viva em meu peito
Enquanto sentia você.

Te amei tanto e com tanto prazer que nem vi nascer o fim
Que tirou de você e de mim
Essa intensa alegria
De um grande amor.

Perplexos... Passamos a não entender o que acontecia
A não acreditar que o amor morria
A não aceitar a dor que se sentia.

Te vendo hoje, tão longe de mim
Meu peito aperta pelo amor que resiste.
E sei que vive, em mim e em você
A eterna pergunta sem resposta: Por quê?
Por que acabou... Um amor assim?


Jorge Luiz Mota Vargas (1954). Um brasiliense de coração que nasceu em Niterói, acaba de lançar seu primeiro livro, "Momentos - Eu, você, a lua e a poesia" pela Ed. Kelps - Goiânia (GO). Jhoyvargas, como assina alguns de seus poemas, está um aprendiz de poeta, segundo ele, "que leva eternamente em seu coração, além de tudo o que já viveu, um grande amor que se perdeu pelo caminho." Seu livro, escrito, editado,  publicado e comercializado por ele mesmo, fala de amor e desamor, saudade, tristeza, alegria e dor. Sua poesia poderá servir como espelho, ser vista como exemplo, tocar o coração, ou simplesmente se espalhar em pedaços, como folhas mortas pelo chão.


[ Voltar ]

RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS E A PROPRIEDADE INTELECTUAL
Copyright © 1996 PROJETO RELEITURAS. É proibida a venda ou reprodução de qualquer parte do conteúdo deste site.