a

[ Principal ][ Biografias ][ Releituras ][ Novos escritores ]

© Projeto Releituras
Arnaldo Nogueira Jr


Henrique Cazes é carioca, nascido em 02-12-1959. Escritor, compositor, arranjador, e instrumentista autodidata, começou a tocar violão aos seis anos de idade, interessando-se, mais tarde, pelo cavaquinho, banjo, violão caipira, bandolim e violão tenor. Publicou pela Editora Lumiar "Escola moderna do cavaquinho" e "Literatura mínima para cavaquinho". Pela Editora 34,"Choro - do quintal ao Municipal".


Gafes em Roda de Choro

Henrique Cazes


Na casa da tradicional família Mena Barreto, a roda transcorria animada numa tarde de sábado. Até que veio uma empregada oferecer bebidas aos músicos. Do alcoólico só havia Malzbier. Nessa hora um pandeirista grosso (será que é pleonasmo?) perguntou à dona da casa:

— A senhora acha, por acaso, que eu estou amamentando?

Dito isso, desceu para tomar uma na esquina.

000

A badalação que virou o bar Suvaco de Cobra, no subúrbio carioca da Penha Circular, fez com que a turma de músicos que lá se reunia passasse a ser convidada para eventos em ambientes mais chiques.

Sendo assim, a turma do Suvaco foi parar num queijos e vinhos, oferecido por um ricaço que morava na Praia de Ipanema.

A mesa de queijos ficava logo na entrada do salão e exalava aqueles aromas de queijos pra lá de sofisticados.

Não deu outra: a turma foi entrando e um por um levantava o sapato para ver se tinha pisado em merda. Foi aí que o bandolinista Motinha explicou aos colegas o que era aquela mesa:

— Eu conheço esses queijos. Esse aqui é o podrelone, aquele ali é o fedolone.


Extraído do livro "Suíte Gargalhadas - Cento e tantas histórias engraçadas sobre música e músicos", José Olympio Editora - Rio de Janeiro, 2002, pág. 131.

 

[ Principal ][ Biografias ][ Releituras ][ Novos escritores ]

© Projeto Releituras — Todos os direitos reservados. O Projeto Releituras — um sítio sem fins lucrativos — tem como objetivo divulgar trabalhos de escritores nacionais e estrangeiros, buscando, sempre que possível, seu lado humorístico, satírico ou}
irônico. Aguardamos dos amigos leitores críticas, comentários e sugestões.
A todos, muito obrigado. Arnaldo Nogueira Júnior.
® @njo

a