a

[ Principal ][ Biografias ][ Releituras ][ Novos escritores ]

© Projeto Releituras
Arnaldo Nogueira Jr


Dalton Machuca nasceu em Ponta Grossa, no Paraná, em 8 de março de 1955. Já foi engenheiro e administrador por formação, foi político por idealismo, foi empresário por herança familiar, foi professor por necessidade e hoje, diz, sobrevive comprando e vendendo ações que nunca, ao menos, tocou. Mora em Quatro Barras, região metropolitana de Curitiba, e tem mulher, um casal de filhos e um neto.


Troca

Dalton Machuca



Com estas mãos nascidas de tuas mãos
arranco minhas tripas, com sentimento oposto
ao da tua paciência indescritível
que me transborda de ansiedade impaciente.

Como enxergar com olhos nascidos de teus olhos
este mundo que esvazia meu corpo cheio de amarguras
amarradas e soldadas a ele com correntes?

A minha boca nascida de tua boca
não consegue sentir gostos
que não sejam metálicos de alprazolam empurrado pela garganta
e acompanhado de água da torneira - diariamente.

Se com meu nariz nascido de teu nariz
não sinto cheiros do teu aroma perfumado de orvalho amanhecido,
como posso olhar as flores e não me sentir doente?

Nos dois lados da minha cabeça,
meus ouvidos nascidos de teus ouvidos
ouvem batidas desritmadas e sufocantes de um coração
que bate forte em minha garganta - incessantemente.

Ainda tenho o meu corpo nascido de teu corpo agora morto
que caiu de forma abrupta no chão macio do gramado
sem piedade, estatelado, inerte e paciente.

Restou a minha mente
nascida da tua mente.

Eu trocaria o meu lugar de vivo pelo teu de morto
com o prazer vindo do orgasmo se eu não soubesse das dores
que te esperariam de novo nesta vida de dementes.

Restou a minha mente
morta como a tua mente.


E-MAIL: machuca@gmail.com

 

[ Principal ][ Biografias ][ Releituras ][ Novos escritores ]

© 1996—2011 PROJETO RELEITURAS — Todos os direitos reservados.
O PROJETO RELEITURAS — UM SÍTIO SEM FINS LUCRATIVOS — tem como objetivo divulgar trabalhos
de escritores nacionais e estrangeiros. Aguardamos dos amigos leitores críticas, comentários e sugestões.
A todos, muito obrigado. Arnaldo Nogueira Júnior.
®@njo

 

a