[ Principal ][ Biografias ][ Releituras ][ Novos escritores ][ Ilustrados ]

?Projeto Releituras
Arnaldo Nogueira Jr


Ladrões e como trat?los
Por Millôr Fernandes


Amigo meu surpreendeu um ladrão em casa. Desceu p?ante p?a escada e acendeu a luz da sala, rapidamente. O ladrão, ao ver a luz acesa, saiu correndo. Passou pela porta, saltou um muro, ganhou a rua. Meu amigo correu atrás do ladrão at?a porta da rua e, para garantir-se da fuga do ladrão, deu um tiro para o ar. Seu erro. O ladrão parou de correr subitamente e, deitando ódio pelas narinas, voltou como um raio em direção ao meu amigo, disparando também o seu revólver, e gritando com fúria: "Tiro não, seu cachorro! Tiro não!".

Trancando-se em casa e dominado pelo terror, meu amigo ficou refletindo que devia ter ferido algum ponto fundamental da ética larápia. Sentou-se ?máquina. e fez então um código de como tratar ladrões. Ei-lo:


QUANDO, COMO E POR QUE SE DEVE ATIRAR NUM LADRÃO


Atire imediatamente:

1) Se for um ladrão que fala ?maneira da literatura policial corrente. 2) Se ele, em vez de correr pra l? corre pra c? 3) Se ele provar que ?vítima de uma estrutura social mal formulada e que não est?fazendo mais do que lançar mão de algumas coisas que a sociedade lhe deve por t?lo posto no mundo. 4) Se ele não parece disposto a despir sua melhor camisa esporte. 5) Se sua esposa ou filha achar que ele ?um amor de ladrãozinho.


Evite atirar:

1) Quando o ladrão se encaminha para o quarto de seu tio rico, cujo único sobrinho ?voc? Nesse caso, evidentemente, cabe a seu tio o direito de atirar primeiro. ?preferível deixar o ladrão um tanto chocado com a nossa não interferência, do que desagradar nosso tio quando ?seu o legítimo direito de abater o larápio. Isso poderia lev?lo a um grande desgosto e, portanto, a nos deserdar. O fato de não interferirmos entre ele e o ladrão; muito ao contrário. 2) Se o nosso Terra Nova conseguiu agarrar o ladrão pelo gog? Nesse caso, com a pontaria que temos, poderíamos ferir o cão e deixar solto o ladrão. E se voc?j?viu um cão com raiva, fácil lhe ser?imaginar um ladrão hidrófobo. 3) Este ponto redunda no anterior. Voc?nunca deve disparar quando não for capaz de acertar um mosquito a cinqüenta metros. Os ladrões em geral acertam no olho esquerdo de pulgas a duas milhas de distância. (Medida inglesa). 4) Se sua esposa ?uma Assistente Social. Ela pode aplicar sobre ele suas lições de "como reajustar o indivíduo ?sociedade". 5) Se voc?est?a beira da falência. Um ladrãozinho inopinado explica muito fundo ausente.


Peça ao ladrão para atirar antes:

1) Se voc?h?muito tempo não tira férias. 2) Se voc?tem um ótimo seguro contra acidentes. Neste caso voc?pode at? escolher o lugar do corpo em que o ladrão deve atirar, mediante uma comissão paga adiantadamente.

Além disso previne-se também que para entrar em luta com um ladrão não ?necessário convid?lo a escolher as armas antecipadamente; j?que um ladrão prefere normalmente as que tem ?mão. Outrossim não se deve dirigir a palavra a um gatuno antes de lhe apontar o revólver. Ele pode ficar emocionado se voc?lhe falar sem ser apresentado e sentir-se na obrigação de lhe dar uma salva de tiros. A natureza dos ladrões, sabem os entendidos, ?muito reclusa.


Texto extraído do livro "Lições de um Ignorante", Jos?Álvaro, Editor – Rio de Janeiro, 1967, pág. 119.

Conheça a vida e a obra de Millôr Fernandes visitando "Biografias"

 

Ilustração: MAXX

Maxx nasceu em São Paulo, em 1973, e iniciou a carreira de artista plástico na década de 80, na 18?Bienal de São Paulo. Fez ilustrações para várias agências de propaganda. Em 1992 trabalhou na TV Cultura, na equipe de efeitos especiais do premiado programa Castelo R?Tim-Bum e Glub Glub. Em 1997, ilustrava na Folha de São Paulo. Em 1998, atuou como chargista do jornal Lance! e em 2001 na Gazeta Esportiva. Ganhou o primeiro lugar no 26?Salão Internacional de Humor de Piracicaba

na categoria charge, assim como o IV Festival Internacional de Humor de Pernambuco na categoria H.Q. Produziu cartuns, charges, Histórias em Quadrinhos para Heavy Metal (Brasil), Front, Rag? Betty Grupy, story-boards para os jornais Folha de S.Paulo, Agora e A Gazeta Esportiva e também para produtoras cinematográficas, como O2, DM9 e Filmmakers. Em 2002 foi para Lisboa, trabalhar na Editora Impala, Jornal de Notícias e revistas do grupo Abril. Participou da exposição coletiva ConSeqüências em Madrid, expôs caricaturas de famosos em Portugal, venceu Concurso de H.Q no Fórum Almada, Segundo lugar de Cartum no Hermes Saria de Humor de Barakaldo. Bilbao/Espanha e terceiro no Festival de B.D de Amadora/Portugal. Ilustrou o livro infantil "Satisfaçam Minha Cuiriosidade - Sexualidade". Como cenógrafo trabalhou também com Thais de Campos em sua produtora. Para saber mais: www.maxx.art.br

 

[ Principal ][ Biografias ][ Releituras ][ Novos escritores ][ Ilustrados ]

?Projeto Releituras — Todos os direitos reservados. O Projeto Releituras — um sítio sem fins lucrativos — tem como objetivo divulgar trabalhos de escritores nacionais e estrangeiros, buscando, sempre que possível, seu lado humorístico,
satírico ou irônico. Aguardamos dos amigos leitores críticas, comentários e sugestões.
A todos, muito obrigado. Arnaldo Nogueira Júnior.
?@njo